Escola, Parlamento e Sociedade
promovendo Cidadania!
Contate-nos
(51) 99171 8498

Curta #ZikaZero

Campanha CURTA #ZIKAZERO

Justificativa:
No dia 04 de fevereiro de 2016 foi assinado o “Pacto da Educação Brasileira contra o Zika”, em reunião de Lançamento do Programa do Ministério da Educação de Enfrentamento ao Zika, em Brasília - DF.
As entidades signatárias do Pacto reafirmaram o seu compromisso com o Artigo 205 da Constituição Brasileira de 1988 que estabelece que a educação “será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho” e reconheceram “que o Brasil e o mundo estão diante de uma grave emergência em saúde pública provocada pelo aumento da proliferação do mosquito Aedes aegypti e também das doenças transmitidas por esse vetor: a dengue, a febre Chikungunya e a Zika”.
Ao considerar “a declaração da Organização Mundial de Saúde (OMS) de emergência de saúde pública internacional pela microcefalia e outras anormalidades neurológicas relacionadas ao vírus Zika” e “a dimensão, capilaridade e capacidade de mobilização das comunidades escolares e educacionais em todo o território brasileiro para o controle à proliferação do Aedes aegypti”, os signatários reiteraram "o papel da educação na promoção da saúde das pessoas, notadamente no que diz respeito aos condicionantes e determinantes sociais da saúde e no reforço das ações de ampliação da consciência sanitária - direitos e deveres da cidadania, educação para a saúde, estilos de vida e aspectos comportamentais, dirigidas a impactar favoravelmente na qualidade de vida”.
Diante da atual “proliferação do mosquito Aedes aegypti e o risco das doenças transmitidas por esse vetor (a dengue, a febre Chikungunya e a Zika) evidenciam um cenário sensível para a saúde pública brasileira”, convieram, entre outros, que:

- A Educação tem um papel de enorme importância no controle da proliferação do mosquito Aedes aegypti e das doenças transmitidas por esse vetor e suas consequências, como a microcefalia. Somos mais de 60 milhões de pessoas diretamente vinculadas a educação escolar, entre estudantes, docentes e servidores de apoio e devemos atuar para o controle à proliferação do Aedes aegypti nas nossas escolas e comunidades, mobilizando todo o País. Também nas escolas, a Educação pode ter uma formação mais significativa no sentido de propiciar uma cultura de promoção à saúde, respeito ao meio ambiente e à prevenção por meio do enfrentamento à proliferação do mosquito, especialmente de seus criadouros (locais de água parada).

- A Educação, dentro do “Plano de Ação do MEC para o Enfrentamento ao Aedes Aegypti” e do “Plano Nacional para o Enfrentamento à Microcefalia”, deve ter a escola de educação básica como núcleo de mobilização territorial e social para combate ao vetor, em especial seus criadouros, e orientação à população de modo geral, com intermédio da comunidade escolar. É nosso dever tornar a educação o principal instrumento de consciência social sobre essa problemática e espaço para construção de alternativas de combate ao Aedes aegypti.

- O Brasil precisa da participação de todos nas ações de prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti para, assim, evitar todas as suas consequências e para proteger, de forma efetiva, a saúde de todos os brasileiros e de todas as brasileiras. Por isso, incentivamos outros segmentos a seguirem este nosso exemplo.

Assim, através da Campanha CURTA #ZIKAZERO, o Projeto Curta na Educação quer somar esforços nas iniciativas de enfrentamento ao Aedes aegypti divulgando o “Pacto da Educação Brasileira contra o Zika” e incentivando as Instituições de Ensino a mobilizarem a comunidade escolar para organizar e participar de atividades voltadas ao combate do mosquito e divulgar as diferentes iniciativas na página da Campanha no Facebook.

Objetivo Geral:
Incentivar a organização e a participação das Instituições de Ensino, com o envolvimento de toda a comunidade escolar, de atividades voltadas ao enfrentamento do Aedes aegypti, em vista da proteção efetiva da saúde de todos.

Objetivos Específicos:

- Incentivar a participação das Instituições de Ensino nas ações coordenadas para a erradicação do mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus Zika e também da dengue e da febre chikungunya, conforme Plano de Ações construído pelos signatários do Pacto da Educação Brasileira contra o Zika;

- Reforçar o papel dos agentes envolvidos nos espaços educativos na promoção da saúde das pessoas, notadamente no que diz respeito aos condicionantes e determinantes sociais da saúde e no reforço das ações de ampliação da consciência sanitária - direitos e deveres da cidadania, educação para a saúde, estilos de vida e aspectos comportamentais, dirigidas a impactar favoravelmente na qualidade de vida;

- Destacar a importância da Educação na construção de uma cultura de promoção da saúde, do respeito ao meio ambiente e da prevenção por meio do enfrentamento à proliferação do mosquito, especialmente de seus criadouros (locais de água parada);

- Tornar os agentes envolvidos nos espaços educativos o principal instrumento de consciência social sobre essa problemática e efetivos construtores de alternativas de combate ao Aedes aegypti;

- Distinguir a escola de educação básica como núcleo de mobilização territorial e social para combate ao vetor, em especial seus criadouros, e orientação à população de modo geral, por intermédio da comunidade escolar;

- Mobilizar as comunidades escolares e educacionais para o controle à proliferação do Aedes aegypti;

- Divulgar materiais e subsídios para organizar e orientar a participação no enfrentamento do Aedes aegypti;
Promover a adesão nas atividades de mobilização nacional para conscientização e eliminação dos criadouros do mosquito;

- Incentivar a produção de Curtas, textos e outros subsídios sobre as reflexões propostas e as ações desenvolvidas a partir da adesão e participação na mobilização nacional de enfrentamento ao Aedes aegypti e a sua divulgação na página da Campanha no Facebook;

- Acompanhar as ações da gestão pública, com a transparência na aplicação dos recursos disponíveis, na prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti;

- Identificar a imbricação existente entre as realidades da educação e da grave emergência em saúde pública provocada pelo aumento da proliferação do mosquito Aedes aegypti e também das doenças transmitidas por esse vetor: a dengue, a febre Chikungunya e a Zika;

- Incentivar a exposição dos Curtas e subsídios nos diferentes espaços escolares.


Metodologia:

- Divulgar o “Pacto da Educação Brasileira Contra o Zika” e os diferentes materiais e subsídios disponibilizados pela Campanha Zika Zero: http://zikazero.mec.gov.br/
Promoção de atividades para divulgar o Pacto da Educação Brasileira contra o Zika junto à comunidade escolar e desencadear um processo de sensibilização, reflexão e ação no combate à proliferação do Aedes aegypti;

- Organizar e participar de atividades voltadas ao enfrentamento do Aedes aegypti;

- Destacar aspectos na comunidade escolar que contribuem para o combate ao Aedes aegypti e às doenças por ele transmitidas;

- Produzir Curtas e outros subsídios a partir das atividades desenvolvidas;

- Divulgar e compartilhar na página da Campanha CURTA #ZIKAZERO a mobilização da comunidade escolar no enfrentamento do Aedes aegypti.

Cronograma:
Permanente. Com a divulgação dos materiais disponibilizados pela Campanha Zika Zero e das atividades previstas na mobilização nacional para o combate ao Aedes aegypti; bem como a partilha das atividades desenvolvidas pelas Instituições de Ensino e suas comunidades escolares.

Recursos Humanos e Materiais:
Para o desenvolvimento da Campanha, dentre outros, é imprescindível a participação de alunos e educadores, com o envolvimento da comunidade educativa das Escolas e das famílias. Da mesma forma, é de suma importância à articulação com as diferentes instâncias do Poder Público e da Sociedade Civil para o enfrentamento do Aedes aegypti e contribuir para a promoção da saúde no País.
Os mais variados materiais podem ser utilizados na Campanha CURTA #ZIKAZERO, tais como vídeos, livros, peças de divulgação da Campanha Zika Zero, arte, redes sociais, palestras, internet, equipamento de áudio e vídeo, filmes, imagens, etc.

Avaliação:
Dar-se-á ao longo da Campanha a partir da interação dos alunos, dos professores, das Instituições de Ensino na página da Campanha CURTA #ZIKAZERO no Facebook, com a partilha dos subsídios e Curtas produzidos, bem como de atividades desenvolvidas.

Realização:
Associação Nacional de Educação Católica - ANEC; Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul - CCDH; Grupo de Trabalho Interinstitucional - GTI.

Parceiros:
Informações sobre as Instituições parceiras da Campanha CURTA #ZIKAZERO serão disponibilizadas na página do Facebook.


 Curta: https://www.facebook.com/CurtaZikaZero/

Twitte: #CurtaZIKAZERO #CurtaNaEducação