Escola, Parlamento e Sociedade
promovendo Cidadania!
Contate-nos
(51) 99171 8498

O Protagonismo Juvenil, a Escola e o Parlamento: opções reais de mudança social

Publicada em 06/03/2013

"Em 2012, estive nesta tribuna para, pela primeira vez oficialmente, apresentar à sociedade gaúcha, principalmente à comunidade escolar, o projeto “Curta na Educação” pensado e gestado enquanto presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos em parceria com a ANEC – Associação Nacional de Educação Católica. Hoje, novamente, aqui estou para testemunhar a relevância deste projeto que visa mobilizar adolescentes, jovens e adultos de todas as redes de ensino para a reflexão e ação voltadas a questões de interesse social, propiciando o desenvolvimento do pensamento crítico e o exercício da cidadania.

Parlamento e Escola, juntos, com um objetivo central: dar condições para que os jovens exerçam, de forma livre e consequente, o seu protagonismo.

Em 2012, este mesmo Projeto levou jovens de nossas escolas a analisarem a situação da Saúde Pública no Rio Grande do Sul; indignarem-se, muitas vezes, com ela, mas, dentro do dinamismo e inquietação comuns a esta faixa etária, irromper o comodismo e propor possibilidades reais de mudança da realidade que os cercava e, por vezes, até os intimidava.

É neste espaço existencial de inquietação, tipicamente juvenil, que o Projeto “Curta na Educação” se radica. Ele quer superar a mera constatação inconsequente dos fatos. Visa, numa cooperação entre escola e parlamento, a superação de realidades indesejadas e o aprimoramento do que já se constitui como digno para o humano em nossa sociedade.

O Projeto propõe que as angústias, desigualdades, insatisfações, desequilíbrios percebidos na juventude e na sociedade como um todo pelos próprios jovens de nossas escolas, fossem sublimados, transformados em processo de reflexão e exteriorizados com direcionamento, via reivindicação adequada e consistente, ao Legislativo Estadual. E assim foi feito.

Jovem é assim! Quando se acredita nele, entende-se os seus códigos, dá-se espaço para que ele fale da sua forma e na sua língua, tem-se resultados efetivos.

No Ano passado, cerca de 400 jovens, nossos jovens, que, hoje em dia, possuem por vezes uma cultura “toda outra”, diferente da cultura dos adultos, após refletirem em suas escolas sobre a temática proposta pelo Projeto “Curta na Educação” e cumprindo uma das etapas finais do projeto naquele ano, reuniram-se em Audiência Pública realizada em outubro no auditório Dante Barone. Ali expuseram as suas reivindicações/proposições ao parlamento gaúcho sobre a questão da Saúde Pública.

Cito as proposições ditas pelos jovens, naquela ocasião, para que percebamos a qualidade, contextualidade que elas possuem e o nível do desafio que põem para as instituições escola e legislativo estadual:
1. Formação de uma Equipe Interdisciplinar, em nível de estado, para tratar a questão da Saúde na Escola;
2. Criação ou ampliação da abrangência da Semana da Saúde na escola;
3. Criação de um Observatório com dados estatísticos especificamente sobre Saúde Escolar;
4. Criação de um Grupo de Trabalho orientado pela CCDH e a ANEC para acompanhar os encaminhamentos referentes à Saúde na Escola

Estes encaminhamentos da AP de 2012, passíveis de serem colocados em prática, demonstram que, se houver organização e espaço político para o jovem se manifestar, ele o ocupará prazerosa e criativamente.

Se, em alguns momentos, temos dificuldade em entender a juventude, quem sabe seja por não nos permitirmos compreendê-la ou pensarmos, ingenuamente, que não precisamos compreendê-los na lógica e ótica deles sobre o mundo.

Em 2012, o Projeto e os encaminhamentos ao Legislativo versaram sobre Saúde Pública. Neste ano, seguindo a orientação temática provinda da CNBB através da Campanha da Fraternidade, a temática é a própria Juventude.

É momento de comprometimento, de deixar o jovem falar, de silenciar e ouvi-lo, de nos colocarmos a seu lado e, inspirando-nos em seu dinamismo e irreverência, implementarmos em nível legislativo, na medida do possível, as sugestões que procederão deles, via Projeto Curta Juventude na Educação. A parceria está feita e os jovens estão cada vez mais assumindo o seu protagonismo.

Ao longo de 2013, a atenção estará voltada mais especialmente para esta realidade juvenil - para as Juventudes e toda a riqueza de suas diversidades. Imersos que estão num contexto de profundas mudanças culturais, “se objetivará oportunizar-lhes que se tornem agentes transformadores, propiciando caminhos, juntamente com todos os segmentos da sociedade, para um consistente protagonismo juvenil na construção de uma cultura fraterna fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz”.

Cabe à Escola e ao Legislativo rio-grandenses, cada vez mais, tornarem-se referência para a juventude em nível de possibilidade efetiva de transformação de nossa realidade planetária.

Se erramos enquanto sociedade por não fazer, ou por não fiscalizar e, por isso, choramos com e por Santa Maria, que tenhamos aprendido esta difícil lição ensinada pelo sofrimento . Choramos pois foram os nossos jovens que morreram grotescamente, com a mão desesperadamente estendida e sem a nossa para dar-lhes a salvação.

Se choramos por estes, que percebamos o fato de que, a cada dia, quem sabe assim como aqueles, muitos e muitos jovens morrem pela violência institucional, por sua opção sexual, por sua classe social, pelo tráfico e drogadição escravizantes, pelos apelos do consumismo, pelo tráfico humano, pelo trabalho infantil humilhante, pela prostituição, pelo racismo instituído, por pertencerem a um ou outro grupo menos popular.
Esses jovens, assim como os de Santa Maria, de todas as tribos e cores e jeitos de vestir, são os nossos jovens que clamam por espaço, clamam que os vejamos de fato, que os encaremos nos olhos e, ao menos por um instante, permitamo-nos ver o mundo com os seus olhos.

O Projeto “Curta Juventude na Educação” quer acompanhar esta mudança interior/exterior. Neste tempo de Quaresma, aproveitemos para renovar a nossa forma de ser e agir no mundo. Que a mudança se inicie em nosso interior e atinja todos os espaços existenciais sócio-culturais do humano.

Neste grande expediente faço cumprir mais uma etapa do projeto que é de todos os que vislumbram uma juventude mais atuante e influente nos rumos de nosso estado e país. No segundo semestre deste ano, em Audiência Pública aprovada hoje na CCDH, ouviremos dos jovens de nosso estado, assim como no ano passado, as suas propostas para o Legislativo em nível de políticas públicas para a Juventude. Será momento de troca, de ensino-aprendizagem. Nesta Audiência Pública, além das propostas proferidas pelos jovens, serão exibidos os curtas metragens feitos por eles ao longo de 2013 e que, na forma da Arte, estarão dialogando com o mundo adulto sobre como a Juventude gaúcha vê, sente e se posiciona em relação à realidade.

Procure a página do Curta Juventude na Educação no Facebook ou, a página de acesso do site do Projeto, onde foram disponibilizadas as informações pertinentes que possibilitam a participação de qualquer escola da rede privada ou pública nesta iniciativa que, sem dúvida, é reta intenção na instrumentalização e manuseio do Poder pelos jovens de nosso estado." - Deputado Miki Breier

Fonte: Gabinete do Deputado Miki Breier

Confira outras notícias